Início » Blog » É possível superar uma traição no relacionamento?

É possível superar uma traição no relacionamento?

E um belo dia a casa caiu.

Algumas pessoas notam indícios, outras são pegas completamente de surpresa. independente da forma que ficou sabendo, o baque de descobrir uma traição é sempre brutal. A primeira reação é a de raiva, de desespero total, uma vontade louca de gastar o réu primário e acabar com a pessoa. Aí tem o confronto, a briga, o pedido de desculpa, as acusações e de um jeito ou de outro o casal decide que vai continuar junto. A pergunta de um milhão é: é possível superar uma traição?

Neste artigo vou discorrer um pouco sobre o que precisa ser feito para superar uma traição, continue lendo para descobrir:

Por que as pessoas traem;
Quais as consequências da traição;
As fases do luto do relacionamento antigo;
Como superar uma traição.

Por quê as pessoas traem

Em algumas espécies a monogamia é determinada geneticamente, definitivamente este não é o caso da espécie humana. Os humanos são capazes de amar, e de amar novamente caso o primeiro amor não dê certo. Assim sendo, a monogamia nos seres humanos é determinada muito mais pela cultura do que pela genética em si.

Ao entrar em um relacionamento um contrato implícito entre duas pessoas é estabelecido. O problema é que o contrato é implícito, ou seja, muitas vezes o que cada um espera da relação não fica claro para o outro. Já conheci pessoas que traíram enquanto namorado(a), mas que depois de casados são fieis. E também já conheci pessoas o contrário, que eram fieis e traíram depois de casados.

Apesar de não ser possível dizer exatamente porque cada uma das pessoas que traem o fazem, alguns padrões podem ser identificados. Entre os motivos que levam a traição é possível citar: vida sexual insatisfatória, conflitos no relacionamento, crenças, oportunidade e vingança. Vejamos cada um destes:

Vida sexual insatisfatória. E aqui não estou falando apenas do famoso “caiu na rotina”, mas muitas pessoas apresentam desejos ou fantasias sexuais que, por algum motivo, não são satisfeitas no relacionamento, e acabam buscando realizar estes desejos fora. Existem homens e mulheres que muitas vezes nem falam sobre estes desejos com os cônjuges por acharem que o outro não vai aceitar, por exemplo, cuckold, troca de casais, menage, etc.

Conflitos no relacionamento. Alguns casais, apesar de se amarem, não conseguem se entender. Quando um começa a tratar mal o outro cria uma distância entre eles e uma polarização de temas, que causam mais brigas. Essa polarização faz com que um feche a janela de afeto para o outro, e que se abram portas de afeto para terceiros, o que pode levar à traição.

Crenças. Algumas pessoas apresentam crenças sobre o relacionamento que podem levar a infidelidade conjugal. Exemplo de crenças: “tem que trair para não ser traído”, “homem é assim mesmo, não consegue ficar com uma só mulher”, “eu sou homem então posso”, “pego mas não me apego”, entre outras. O Machismo também entra aqui.

Oportunidade. Pesquisas indicam que é provável que quem mais tem chance de trair realmente o faça, ainda mais se a possibilidade do outro descobrir for pequena. Algumas profissões podem favorecer a traição, tanto que os locais que mais acontecem traição são no trabalho e através da internet.

Vingança. O sujeito foi traído e faz o mesmo para “se vingar” no momento da raiva, afinal “chifre trocado não dói”.

Quais as consequências da traição

Ser vítima de traição pode trazer várias consequências à vida da pessoa. Entre as mais comuns estão problemas emocionais e, obviamente, problemas no relacionamento.

Como consequências emocionais estão o desenvolvimento de crenças errôneas ou infundadas sobre as pessoas, sobre relacionamentos ou sobre si mesmo(a). Exemplo destas crenças são: “não posso confiar em ninguém”, “eu não sou atraente”, “as pessoas só vão se aproveitar de mim”, “não sou digno(a) de amor”, “eu não deveria ter deixado isso acontecer”, entre várias outras.

Os sentimentos negativos estão entre as consequências emocionais, neste processo são comuns sentimentos de raiva, ódio, tristeza, rancor, mágoa, vontade de se vingar e depressão. Lidar com estes sentimentos podem ser muito difícil e, muitas vezes, é necessário um acompanhamento com psicólogo.

Por motivos óbvios uma traição também gera problemas no relacionamento com o(a) companheiro(a). A base de um relacionamento é a confiança, e a traição é uma quebra absoluta da confiança. Como uma pessoa que diz que me amava, que passou tanto tempo ao meu lado, a quem eu depositei todo meu amor, fez algo tão grave e me machucou tanto? Como ter certeza que essa pessoa não vai me ferir de novo? Vou conseguir confiar nela novamente? Esse tipo de questionamento que a pessoa que foi traída em algum momento se faz leva a um distanciamento do casal.

As coisas que antes eram boas podem causar sofrimento. O jeito que ele abraçava, a forma com que ela se aconchegava no colo, as brincadeiras, que deveriam ser lembranças boas, passam a ser lembranças da mágoa que ele(a) causou.

As fases do luto do relacionamento antigo

Quando há uma traição a pessoa deverá fazer um processo de luto de seu relacionamento para, depois, conseguir decidir se vale ou não a pena continuar com aquela pessoa. As fazes do luto são:

Agressividade. Reações agressivas, tanto verbal como fisicamente, são comuns acontecer. A dor de descobrir uma traição é tão intensa que a reação é instintiva e violenta. A agressividade também é uma forma de tentar aplacar os sentimentos.

Negação e choque. A pessoa não quer acreditar quem uma desgraça tão grande aconteceu com ela. Um sentimento de entorpecimento, a recusa de acreditar que seu(a) companheiro(a) poderia ter feito algo assim contigo. Nesta fase é comum que as pessoas não acreditem nas evidências da traição, e até contestem pessoas que vieram delatar o traidor.

Ruptura do cotidiano. Um afastamento do(a) companheiro(a) pode ser necessário. Aquela pessoa passa a ser vista, pelo menos por um tempo, como causador de sofrimento, só de olhar para ela já sente raiva, tristeza, angústia, etc. Até situações do dia a dia que lembram a pessoa passam a causar sofrimentos e trazer lembranças, de forma que a rotina da pessoa que foi traída fica toda bagunçada e ela se sente perdia.

Raiva. Uma vez que a traição seja reconhecida, a pessoa sentira raiva, muita raiva. É um dos momentos mais delicados uma vez que este sentimento pode impulsionar a pessoa a tomar ações drásticas e acabar se machucando, machucando outras pessoas, ou tomando decisões extremas. Reconhecer a raiva como um sentimento natural do processo é importante, assim como saber (ou pedir ajuda para alguém) ponderar suas ações.

Tristeza. A tristeza surge quando o(a) traído(a) reconhece toda a perda que ele teve no relacionamento, por exemplo do investimento emocional, da dedicação, do tempo, da renúncia de outras oportunidades de relacionamentos, e até das coisas boas do relacionamento.

Depressão. Todo o dano causado gera estresse, ansiedade, raiva, agonia, tristeza, mudanças na rotina da pessoa, despedaça sonhos e planos, e, por sua vez, tudo isso conduz a um quadro de depressão.

Aceitação. O processo de luto é, em si, um processo de cura. Aceitar todos os sentimentos como naturais e esperados, ajuda passar pelas fases e chegar na aceitação. Por outro lado, se alguns sentimentos não são aceitos e alguma fase não é transpassada, a pessoa fica presa no processo e não consegue superar. Findas as fases a ultima é a aceitação de que aquilo foi ruim, aconteceu com ela, mas ela tem recursos para seguir a vida apesar do ocorrido.

Como superar uma traição

O caminho para superar uma traição é bifurcado. A pessoa pode escolher continuar juntos ou separar, em ambos os casos passará por um processo de readaptação. Fato é, não existe forma de superar a traição sem passar por todo o processo de luto.

Se a decisão for por terminar o relacionamento, a mudança de vida será mais drástica. Provavelmente vai se deparar com a necessidade de mudar-se de casa, ou da outra pessoa sair e levar várias coisas da casa, a rotina dos filhos vai mudar; as tarefas, antes compartilhadas, vão se acumular, bem como o financeiro pode ser um fator agravante. Uma boa rede de apoio e/ou o acompanhamento psicológico pode ajudar muito nesta readaptação.

Por outro lado, se a decisão for por continuar o relacionamento, a mudança deverá ser tanto psicológica quanto na relação dos dois. Quando o casal se casa ou vai morar juntos, ou mesmo começa a namorar, um contrato entre duas pessoas é estabelecido. Neste contrato os termos não são explicitados, mas socialmente estão incluídos termos como necessidade de fidelidade conjugal, amor mútuo, companheirismo, apoio mútuo, etc. Quando há uma traição, há uma quebra deste contrato. para o casal conseguir continuar junto é necessário que um novo contrato entre eles seja estabelecido, com novos termos, novas necessidades e novas formas de agir de cada um. Um processo de terapia de casal pode ser muito importante na construção deste novo contrato de relacionamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *