A resposta para essa pergunta é muito fácil: adolescência é o período de desenvolvimento mais temido pelos pais. Parece até cômico, se não fosse trágico, mas é a mais pura realidade.

Quando o filho ou a filha vai pegando os 10 ou 11 anos os pais já ficam ansiosos imaginando os problemas que vão ter. “Será que não vai usar drogas?”, “E se esse moleque arranjar um filho?”, “E se essa menina engravida?”, “Vai conseguir passar no vestibular?”, “Vai trabalhar no que?”, entre outros milhares de preocupações.

Continue lendo que você vai saber:

O que é adolescência

Quais as características psicológicas dos adolescentes

Como lidar com um (a) filho(a) adolescente

O que é adolescência

Os especialistas definem adolescência como “um período peculiar de desenvolvimento”, e o que exatamente isso quer dizer?

No Brasil, é considerado adolescente a pessoa entre 12 e 18 anos, idade que coincide com as mudanças corporais ocasionadas pela puberdade. Além do aumento significativo na estatura há o aparecimento de pelos no corpo, os meninos terão a voz engrossada e o aumento no pênis, as meninas terão os seios desenvolvidos e passarão pela menarca. Veja na imagem abaixo todas as características da puberdade e a idade que ela inicia.

Alguns teóricos defendem que a adolescência como período de desenvolvimento específico passa a existir após a revolução industrial, momento que começou a necessidade de mão de obra qualificada para trabalhar nas fábricas e, portanto, necessidade de estudo. Antes deste período as crianças crescia e já aprendiam o ofício com os pais, com 12 ano já estavam aptos a realizar um trabalho em nível quase profissional. Porém após a revolução industrial e com a necessidade de estudo para poder adentrar ao mercado de trabalho as crianças passaram a frequentar a escola e não mais a trabalhar. Isso fez com que as características naturais da adolescência fossem exacerbada e surgissem as dificuldades que os pais enfrentam atualmente.

Características psicológicas dos adolescentes

Acompanhado das mudanças corporais estão mudanças psicológicas, e são estas que levam os adolescentes a darem tanta dor de cabeça os pais.

Na adolescência começa uma fase da vida em que o sujeito busca por uma definição da identidade diferenciada da dos pais. É o momento em que tudo que aprendeu na infância vai ser colocado à prova para ver o que é bom e o que vai ser descartado como indesejável. Esta é a razão de em alguns momentos os adolescentes se comportarem como aquela criança fofa que os pais tanto amam, e em outros agirem como seres revoltados com tudo e com todos.

A busca de identidade leva os adolescentes a se desprenderem emocionalmente dos pais e se ligarem aos grupos. Isso começa na primeira adolescência (entre 11 e 13 anos). A opinião do grupo passa a ser mais importante que a dos pais, o grupo modela o que os adolescentes têm como atividades de lazer, que roupa usam, quais gírias falam e os mais diversos interesses. É fundamental que os pais entendam que o adolescente precisa participar de um grupo e ter sua independência afetiva e funcional deles para poder se desenvolver. Pais que impedem que isso aconteça acaba causando problemas psicológicos no filho, como ansiedade, insegurança e dependência.

Por outro lado, o grupo também pode ser nocivo ao adolescentes à medida que é composto por membros que usam drogas ou que têm comportamentos inadequados. Na adolescência, mais do que nunca, é importante que os pais saibam quem são os amigos dos filhos já que eles serão responsáveis por influenciar os gostos e comportamentos dele naquele período.

Para o adolescente a pior coisa que pode acontecer é que ele não consiga se inserir em nenhum grupo nesta fase que é tão importante a opinião social. Por conta disso muitos adolescentes acabam tendo comportamentos desesperados para poder ser aceito pelos amigos, por exemplo usar drogas, mandar nudes ou ter outros comportamentos de risco.

Alguns comportamentos do adolescente podem parecer absurdos aos pais. Isso também acontece pelo momento de desenvolvimento cerebral que o adolescente está vivendo. A maturação cerebral acontece das estruturas mais internas (subcortical) para as mais externas (cortical). As estrutura externa, principalmente o córtex pré-frontal tem a função da regulação inibitória do comportamento (autocontrole), redirecionamento da atenção e regulação emocional. Esta estrutura só estará madura por volta dos 20-22 anos. As garotas têm a maturação cerebral em torno de 2 anos antes dos garotos. Veja abaixo algumas características psicológicas deste período.

1. Impulsividade – a área do cérebro que controla o comportamento não está plenamente desenvolvida na adolescência, então eles têm dificuldade de controlar o impulso de fazer algo ou de não fazer. Ficar sem ter alguma altividade para fazer causa intenso sofrimento ao adolescente. Você vai ver adolescentes, do nada, correndo, gritando, mexendo com outra pessoa, tudo isso é pela impulsividade característica da adolescência.

2. Inconsequência – pelo mesmo motivo do anterior os adolescentes não conseguem prever as consequências de seus comportamentos, por isso muitas vezes fazem coisas absurdas, que os pais sabem que vai dar errado, e ele não consegue ver isso.

3. Excitabilidade – as emoções estão a flor da pele, tudo que é sentido pelo adolescente é ampliado, intenso, exagerado. Esse é o motivo da depressão em adolescentes ser tão grave com o risco de tentativas de suicídio.

4. Rebeldia/Revolta – um adolescente não entende muito bem como o mundo funciona, nem consegue perceber muitos pontos de vista de determinados assuntos, por isso acredita que tem a solução para grande parte dos problemas do mundo. Isso torna o adolescente e o jovem um perfeito ativista de diferentes causas.

5. Desafiadores – Desafiar e testar as regras faz parte da construção da identidade, de reivindicar suas vontades.

6. Detalhistas – Com a capacidade de pensamento abstrato que está sendo desenvolvida o adolescente usa pormenores para justificar suas discordâncias dos adultos ou de outros adolescentes. Esse excesso de detalhismo não é uma compreensão aprofundada do assunto, ao contrário, é por não conseguir ter a dimensão completa daquilo justifica determinadas ações com detalhes insignificantes. Por exemplo “todo mundo vai”, “isso não dá nada”, “mas eu já sei fazer, não tem problema”.

7 – Não entendem o porquê de não poderem fazer algo – uma característica que percebi nos adolescentes que atendo é que eles não conseguem entender que não podem fazer algo só por ser errado, ou pela lei não permitir. Por exemplo: “sei dirigir então porque não posso pegar o carro?” ou “todo mundo vai, porque eu não posso ir”. A proibição pura e simples é, para eles, algo que não é compreendido.

Como lidar com um(a) filho(a) adolescente

Essa é a pergunta do milhão, muitos pais tem extrema dificuldade de lidar com o adolescente por conta das características da adolescência. Então deixarei algumas dicas para os pais.

Sejam congruentes – pai e mãe devem falar a mesma língua. Se um deixa, o outro também deve deixar, se algo não é permitido, ambos tem que bancar a proibição. Quando pai e mão não estão de acordo o adolescente aprende a manipular, sempre vai para o lado que acaba cedendo.

Regras claras – as regras de sua casa e convivência devem ser bem claras, e as punições para o descumprimento delas também. A punição sempre deve ser no mesmo nível do descumprimento. Se chegou muito tarde um dia, vai ficar alguns dias sem poder sair, se brigou no colégio tem que pedir desculpas e reparar o dano ao outro, caso tenha xingado o pai ou mãe vai ficar sem internet (ou celular, ou videogame) por uma semana. O adolescente deve ser capaz de citar algumas regras da casa quando perguntado.

Não ameace se não for cumprir – a principal forma dos pais perderem o respeito dos filhos é fazer ameaças extremas que nunca serão cumpridas, por exemplo “você nunca mais vai sair de casa”, “vou te deixar sem videogame o resto da vida” ou “vou te dar uma surra que você nunca vai esquecer”. Ao ameaçar e não cumprir o adolescente percebe que não vai sofrer as punições, então “não da nada” descumprir a regra.

Ensine pelo exemplo – se você quer que o seu filho aprenda algo, seja o exemplo para ele. Crianças e adolescentes aprendem mais pelo exemplo do que pelas palavras ditas pelos pais.

Direcione o desenvolvimento de teu filho – agora que você leu este texto, você conhece muitas características típicas da adolescência, então você pode direcionar o seu filho para algo menos prejudicial. Por exemplo, o adolescente VAI querer se juntar em grupos, você pode levá-lo para frequentar uma igreja que tenha grupo de jovens, ai ele vai estar em um círculo saudável. Ou o adolescente não consegue perceber as ações de seus atos, então você pode utilizar livros, histórias, ou pessoas que o ajudem a perceber como certos comportamentos de risco trazem graves consequências.

Procure ajuda profissional – caso teu filho esteja dando muito problema, e você esteja com dificuldade de lidar com ele, procure ajuda de um profissional para auxiliar. O profissional pode ser um psicólogo, mas também um professor que tenha afinidade com ele, um pastor ou padre da igreja, um psiquiatra.

O período da adolescência não é fácil para os pais, a maioria dos adolescente terão problemas de comportamentos típicos da fase. Os pais devem se prepara o mais cedo o possível para lidar com esses problemas, e não devem exitar em procurar um profissional se os problemas extrapolarem um limite aceitável.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE

%d blogueiros gostam disto: