Essa é uma das questões fundamentais da vida, junto com “de onde eu vim?”, “para onde eu irei?” e “lá tem internet?”

Haaaaaaaa;

Uiiiiii;

Aiiiiii;

Ai, ai, ai, ai, ai;

Que delícia…

Asdfasdfadsfasd…

São exemplos de emissões de vocalizações copulatórias (gemidos) espremidos pelas mulheres durante o ato sexual. Mas por que porra elas fazem tal coisa?

O primeiro ponto que temos que levar em consideração é: as mulheres gemem comparadas a quem? Se for aos homens, pode-se dizer que elas gemem mais mesmo, contudo não tenho nenhuma estatística para confirmar isso.

Pode ser por uma questão de personalidade e papel de gênero. As mulheres são mais estimuladas a expressarem e a se conectarem aos seus sentimentos, consequentemente, na hora do sexo, os gemidos seriam uma forma de expressar o que estão sentindo. Nem todas as mulheres se sentem confortável, ou mesmo gostam, de falar “isso, vai cachorro, mete”. Gemer é a forma de dizer a ele que está bom.

Já os homens são ensinados a serem mais duros e a não expressarem suas emoções e sentimentos. Que garoto nunca ouviu a famosa frase “homem não chora”? Por isso a tendência é que os homens não gemam tanto.

Como tudo no universo feminino é mais complicado, nem sempre os gemidos são manifestações de que o cara está fazendo tudo certo.

Em 2011 Gayle Brewer, da Universidade de Central Lancashire, e Colin Hendrie, da Universidade de Leeds, realizaram uma pesquisa sobre o motivo das mulheres gemerem durante o sexo. Alguns dados bem interessantes foram coletados.

O primeiro é que as vocalizações copulatórias foram relatadas mais vezes durante o orgasmo masculino, e não necessariamente quando elas tinham orgasmo. 66% das mulheres pesquisadas afirmaram que gemiam para acelerar o orgasmo do parceiro, já 87% disseram que pra elevar a autoestima. Algumas mulheres também disseram que gemiam para aliviar o tédio, o cansaço e o desconforto.

E você, meu amigo, achando que estava fazendo tudo certinho porque sua companheira gritava mais que o Massacration cantando Evil Papagali.

Então quer dizer que, ao gemer, a mulher não está gostando e está enganando o cara?

Não exatamente.

O tio Freud (lê-se Fróidi) dizia que o desejo da mulher é ser desejada, ou, de uma forma bem simplista, a mulher se excita sexualmente quando percebe que o companheiro a deseja. Em uma relação, o comportamento de uma pessoa influencia e é influenciado pelo da outra. Ao gemer, ela está influenciando o comportamento do parceiro que, teoricamente, ficaria mais excitado. Está é uma maneira que elas encontram de agradar o parceiro ou de sentirem mais prazer e se divertirem mais durante o sexo.

Quando o homem tem um orgasmo, há um sinal bem claro que isso aconteceu: ele ejacula. Já as mulheres não apresentam sinais tão óbvios do orgasmo. Agora pensa na situação, o cara se esforçando em cima da mina, e ela somente com a respiração mais acelerada. No mínimo o parceiro iria pensar que ela não estava curtindo, o que poderia gerar um monte de problemas no relacionamento.

A mídia influencia as mulheres ao associar prazer feminino a gemidos, e os próprios homens também fazem essa associação. Desta forma ao gemer ela está dizendo ao parceiro que está gostando, mesmo que esse não seja o caso.

Mulheres, se vocês gemem, os homens vão achar que estão gostando. Então, caso façam isso nos momentos inoportunos, ou por outros motivos, vocês vão acabar influenciando eles de maneira negativa para o relacionamento de vocês.

 

                           

COMO CURAR A EJACULAÇÃO PRECOCE

 

Como falei, o comportamento de um influência o de outro. Se a mulher geme quando está desconfortável, o companheiro não vai perceber isso, vai achar que ela está curtindo. Agora, se ela não fizer, ele pode tentar fazer uma outra coisa diferente, que vai que você gosta. As vezes só mudar de posição já torna o sexo mais prazeroso. Use o gemido como algo positivo para a relação de vocês.

É a mesma coisa que fingir orgasmos. Se você fingir que teve, o cara vai achar que está tudo bem. Pior ainda, quando fazemos uma coisa de uma forma, e aquilo funciona, a tendência é repetir da mesma forma. Já quando fazemos algo, e não funciona, é provável que vamos procurar uma forma diferente de fazer.

Seja gemer sem ser realmente por prazer, ou fingir orgasmo, isso pode prejudicar a relação a longo prazo. Fingir uma vez ou outra não tem problema, mas se a cada 10 vezes que vocês transam você finge 7, quer dizer que algo precisa mudar e você tem que sinalizar isso. E, talvez, a melhor maneira não seja em uma DR, mas próprio ato sexual.

Inclusive tem uma técnica que usamos em terapia sexual para melhorar a comunicação e o conhecimento mútuo do casal. De forma simplificada ela consiste em uma pessoa ficar deitada e a outra tocar ela. Quando ela gosta do toque ela faz um sinal, quando não gosta faz outro e a pessoa muda a forma de tocar. O gemido pode ser usado deste jeito também, uma forma muito mais assertiva por sinal.

Agora para falando com os homens. Não dêem uma de Charlie Chaplin e fiquem mudos durante o sexo. Você não precisa fazer um discurso, mas, além do grunido que dá quando está gozando, dê uma gemidinha de vez em quando. Lembra que falei que as mulheres se excitam vendo a excitação do cara? Isso pode ajudar a sua parceira a sentir mais prazer também. E você não vai ser menos macho por uma gemidinha, pelo contrário se você curte sua mulher gemendo, ela vai curtir você também.

E você, geme durante o sexo? Me conte por e-mail.

Caso não queira perder nenhuma publicação do Coisa de Homem, se cadastre para receber conteúdos exclusivos por e-mail.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE

%d blogueiros gostam disto: