A sexualidade humana vai além do mero componente biológico. A resposta sexual humana pode ser pensada em três dimensões: a biológica, a psicológica e a social, todas entrelaçadas entre si.

É o mesmo raciocínio que falei no texto sobre disfunções sexuais.

Apesar das múltiplas influências, geralmente usamos o termo “Resposta Sexual Humana” nos referindo mais ao componente fisiológico, a como nossos corpos respondem aos estímulos sexuais, daí a palavra “Resposta”.

O médico William Master e a psicóloga Virgínia Johnson foram os pioneiros em pesquisa experimental sobre a fisiologia sexual. O trabalho do casal é um marco na elucidação dos processos fisiológicos de quando você está no vuco-vuco (sexo, para os menos íntimos). E estou falando isso apenas pra fazer propaganda do seriado Master of Sex… sério, o seriado é bom, assistam.

Resposta será sempre a um estímulo, é algo que não começa do nada, que necessita de  uma estimulação que dê o start. Para ilustrar, olhe o vídeo abaixo.

A garota dançando de forma sensual pode ser um estímulo que desencadeia algumas respostas no seu organismo. Ou não, mas sobre isso falaremos em outro momento.  Às reações fisiológicas, que seguem um padrão, denominamos resposta sexual humana que segue um padrão de fases.

 

A Resposta Sexual Humana

O ciclo da resposta sexual completa pode ser dividido em quatro fases: desejo, excitação, orgasmo e resolução. Alguns teóricos defendem uma fase chamada de platô, mas eu prefiro estas que citei a vocês.

A resposta do organismo se efetua tendo como base dois fenômenos fisiológicos fundamentais: a vasocongestão ou, para simplificar, as veias se encherem de sangue, e a  miotonia, ou seja contrações musculares. Guardem bem esta informação, isso é muito importante.

A vasocongestão e a miotonia podem ser observadas tanto nos órgãos sexuais como em outras partes do corpo. A ereção dos mamilos, o rubor facial, os espasmos musculares involuntários, são exemplos de reações extra genital. Já a ereção do Junior e do clitóris , os testículos se encolherem em direção ao corpo, e as contrações do orgasmo são reações genitais.

A divisão da resposta sexual em fases ajuda, sobretudo, a compreender a gênese e a gravidade das disfunções sexuais, seus prognósticos e a terapêutica.

 

Fase 01 – Desejo

A primeira fase é da apetência ou desejo. É quando você dá aquela cobiçada na mina imaginando milhões de coisas que nunca vão acontecer que vocês poderiam fazer juntos. Sabe quando você olha para a gostosa da mulher do chefe e dá aquela suspirada? Ou quando você está batendo um concreto pro patrão e passa qualquer mulher? Então, esta é a fase do desejo. É marcada pela vontade de estabelecer uma relação sexual, e independe de estar ou não excitado. Inclusive alguns homens bem mais velhos relatam ter desejo, ainda que a pipa do vovô não suba mais.

Problemas nesta fase causam as disfunções sexuais do desejo: desejo sexual hipoativo, desejo sexual hiperativo e aversão sexual.

 

Fase 02 – Excitação

A segunda fase é a da excitação. É marcada pela excitação crescente, manifesta pelos fenômenos vasocongestivos e miotônicos. Em outras palavras, é quando você fica de pau duro, ou quando sua mina está molhadinha. Fisiologicamente predomina o sistema nervoso simpático, aquele responsável pelas reações automáticas do corpo, que você não precisa controlar conscientemente, como respirar, digerir a comida ou ficar de pau duro.

Problemas nesta fase causa as disfunções da excitação: alteração relacionadas à excitação e lubrificação, na mulher, e broxar disfunção erétil no homem.

 

Fase 03 – Orgasmo

A fase do orgasmo… bem, isso eu não preciso descrever pra você, né? Mas vamos dizer que tenha alguém lendo que sofra de anorgasmia (pobre criatura), então vou falar brevemente. O orgasmo é marcado por contrações musculares reflexas (que você não controla) acompanhadas por sensação de prazer sexual, perda da acuidade dos sentidos e sensação de desligamento do ambiente externo.

Problemas nesta fase levam à disfunções do orgasmos: anorgasmia, na mulher, e ejaculação precoce, retardada, retrógrada ou ausente, no homem.

 

Fase 04 – Resolução

A última (ou não, dependendo da disposição do cara… vai saber) fase é a da resolução. É o retorno do organismo as condições antes da estimulação e acompanhada por uma sensação de relaxamento, alívio e cansaço. Os homens ficam sonolentos, as mulheres relatam apenas se sentirem relaxadas.

Não há disfunção específica desta fase, mas ainda há um grupo de disfunções que podem acontecer em todas as fases: as disfunções relacionadas a dor. Na mulher são a dispareunia e o vaginismo, no homem as prostatites, as uretrites, a fimose, a doença de Peyrone… não vou definir todas aqui, caso queira saber de algo específico só me mandar um e-mail perguntando.

 

Como falei ainda haveria uma quinta fase, que fica entre a excitação e o orgasmo, chamada de platô. Nela a excitação estaria estabilizada e se manteria por um tempo assim até desencadear o orgasmo. Não considerei esta fase porque é característica da resposta sexual feminina do que a masculina, e como aqui os conteúdos são, na maioria, voltado aos homens…

 

Então, pra finalizar, a resposta é: 42! Agora a pergunta é outra história..

Caso você tenha alguma dúvida, ou entendeu a referência, pode me mandar um email.

 

Open chat
Powered by
%d blogueiros gostam disto: