Por que algumas pessoas conseguem tomar três latinhas de cerveja em uma festa, e outras depois que tomam a primeira latinha só vão parar quando estão pra lá de Bagdá? Por que alguns universitários fumam um baseado por semana, e outros fumam cinco baseados diariamente? Por que algumas pessoas desenvolvem dependência química e outros não? Hoje no Globo Reporter, continue lendo para saber:

Por que as pessoas usam drogas;

O que é dependência química;

Por que algumas pessoas se tornam dependentes químicos;

Qual o melhor tratamento para a dependência química.

Por que as pessoas usam drogas

A dependência química é um dos transtornos mentais mais estigmatizados da nossa sociedade. Até o dito louco é mais compreendido que o dependente químico, uma vez que há a ideia que a pessoa faz uso de substâncias psicoativas (drogas) apenas por falta de força de vontade para parar.

Para melhor entendermos a dependência química, primeiro é necessário compreendermos o porquê das pessoas usarem drogas. Abaixo vou elencar alguns motivos que podem levar as pessoas fazerem uso destas substâncias.

O primeiro motivo é pelo efeito prazeroso causado pela droga. Se você cheirasse uma carreira de cocaína e tivesse uma dor de cabeça absurda logo após usar, com certeza nunca mais iria querer experimentar. Porém o que se segue ao uso da substância é uma sensação intensa de prazer. Muitos pacientes já me disseram que a sensação experimentada com algumas drogas é mais intensa que o melhor dos orgasmos, é de se entender ser tão viciante.

O segundo motivo é para suprimir algum sentimento negativo. Esse não é um motivo que geralmente leva ao primeiro uso, entretanto quando a pessoa aprende que a droga pode fazer ela se sentir bem e esquecer os problemas por um período, ela passa a usar para isso. É claro que o uso não resolve o problema, na verdade piora, mas a pessoa tem um momento de tranquilidade.

O terceiro motivo é para diversão. Na nossa sociedade o uso de drogas é muito associado a diversão. Por exemplo, muita gente diz que nos churrascos TÊM que ter cerveja, se não tiver bebida alcoólica nem vai. E sim, o álcool é uma droga!!!. Outro exemplo é o narguilé, em que pessoas se reúnem para conversar e fumar. Podemos falar também do crack, da cocaína, do êxtasy, do LSD, todos podem ser usados como forma de diversão por alguns grupos de pessoas.

Um dos problemas de associar drogas com diversão é que a pessoa passa a consumir uma quantidade maior da substância para se divertir mais.

O quarto motivo é para fazer algo que não consegue fazer sem a substância. Por exemplo, alguns adolescentes tem dificuldades no controle do impulso e usam maconha para diminuírem a irritação; caminhoneiros que cheiram cocaína para ficar acordados enquanto dirigem; homens jovens que bebem para criar coragem de chegar nas meninas nas baladas. Sem a droga essas pessoas não conseguiriam, ou teriam muito mais dificuldade, de fazer essas coisas.

O quinto motivo é pelo ambiente no qual a pessoa está inserida. Ambientes de fácil acesso à drogas, ou que valorizam seu uso, tendem a ter mais pessoas usando. Por exemplo, uma criança que vê seus pais usando drogas tem maior chance de experimentar no futuro, ou adolescentes com fácil acesso podem usar mais vezes.

O que é dependência química

Popularmente chamado de vício, a dependência química é uma doença decorrente do uso de drogas. Nem toda pessoa que usa drogas é dependente, existem alguns critérios que determinam se uma pessoa é dependente ou não. Vou falar sobre os principais.

O primeiro critério que indica a dependência é a síndrome de abstinência. Quando a pessoa fica de dois a três dias sem usar a substância ela pode apresentar os seguintes sintomas: tremores nas mãos, sudorese que não é devido ao calor, coração disparado sem ser por exercício físico, tontura, náusea, dor de barriga, dores de cabela e calafrios. Sintomas psicológicos de abstinência também podem estar presentes, que são forte desejo de consumir a substância (fissura), ansiedade e agitação.

A tolerância ao uso é um forte indicador de dependência. A pessoa precisa consumir uma quantidade cada vez maior da substância para ela ter efeito no organismo. Sabe aquela pessoa forte pra bebida, que precisa de umas 10 latas de cerveja pra começar a ficar bêbada? Então, ao invés dela se gabar, ela precisaria se preocupar, e um sinal que o corpo está cada vez mais efetivo em se livrar da substância, e isso é um problema.

O terceiro sinal de que algo não vai bem é a pessoa manter o uso mesmo tendo consequências negativas. É aquela pessoa que passa a noite usando e no outro dia não vai trabalhar, é aquele homem que tem conflitos com a mulher por conta do uso, é a mulher que perde compromissos familiares ou sociais por estar intoxicada, é aquele senhor que está com problemas clínicos como gastrite ou hepatite. Mesmo essas pessoas percebendo os problemas, ela continua usando.

Existem outros, mas se você ou algum conhecido seu apresenta dois dos sintomas citados acima, talvez seja hora de procurar um profissional.

Por que algumas pessoas se tornam dependentes químicos

Nem todas as pessoas que experimentam drogas se tornam dependentes químicos. Em torno de 12% da população acaba desenvolvendo a dependência, sendo que destes em torno da metade são casos graves.

Existem alguns fatores importantes que vão dizer se a pessoa que experimentou a droga vai se tornar dependente ou não: genética, padrão de uso e fatores emocionais.

pesquisas que indicam que algumas pessoas e famílias apresentam uma vulnerabilidade genética à dependência química. Essas pessoas tendem a viciar muito mais rápido, algumas logo depois do primeiro uso, e não conseguem manter o controle. Não é necessário um teste genético para avaliar se você possui essa vulnerabilidade, basta olhar a sua família. Se você tem familiares como irmãos, tios, pais e avós dependentes químicos, você talvez tenha esse risco. Eu tenho! Para esses casos não existe uso seguro, o melhor é não usar nenhum tipo de droga, pois uma hora vai perder o controle e cair na dependência.

O segundo fator é o uso moderado por um longo período de tempo. Se um homem tomar uma lata de cerveja todo dia depois do trabalho, ao final de uns 10 anos vai desenvolver uma dependência do álcool. Isso acontece por condicionamentos e hábitos, mas em outro artigo falo sobre isso.

O ultimo fator que pode levar a desenvolver uma dependência química são os fatores emocionais. Pessoas com Transtornos mentais como depressão, transtorno afetivo bipolar, transtornos de ansiedade e esquizofrenia são mais suscetíveis a se tornarem dependentes. Assim como pessoas com déficit de habilidades sociais, com dificuldade de autocontrole, pessoas que sente a necessidade de impressionar os outros, etc.

Qual o melhor tratamento para dependência química

O tratamento para dependência química invariavelmente vai envolver dois profissionais, o psicólogo e o médico psiquiatra. Se o paciente parar de usar drogas vai passar por um quadro de síndrome de abstinência, vai se sentir mal e a chance de recaída é muito grande. A medicação ajuda a passar de forma mais tranquila pela abstinência. Não existem uma medicação que tire totalmente a vontade de usar drogas, mas existem medicações que atuam de outras formas. Por exemplo, se uma pessoa usa para eliminar algum sentimento negativo, a medicação pode fazer isso e a pessoa não precisa usar a droga. Ou se a pessoa fica muito ansiosa sem a droga, a medicação ajuda a diminuir a ansiedade.

Por outro lado a dependência química apresenta fatores psicológicos e comportamentais, nestes vão agir o psicólogo. O nosso trabalho será em três sentidos: motivar o paciente para o tratamento, ensinar estratégias para não usar drogas e ajudar o paciente a ficar sem usar.

A motivação do paciente é realizada através de uma técnica chamada entrevista motivacional. Por incrível que pareça muitos pacientes não conseguem perceber que a substância trás prejuízos, ou se percebe ainda predomina o prazer pelo uso. O psicólogo vai auxiliar a pessoa a perceber que aquilo está fazendo mal e precisa parar de usar.

O psicólogo também vai ensinar técnicas para não usar drogas. O paciente vai aprender a como fazer para diminuir a ansiedade, saber o que fazer quando estiver com muita vontade de usar, aprender a identificar o que o leva a usar.

Por ultimo, um acompanhamento psicológico é necessário pois vão surgir dificuldades no meio do caminho, e o profissional vai ajudar o paciente a lidar com essas diversas dificuldades.

Por outro lado, também há um trabalho muito importante com a família. Você sabe como lidar com seu paciente dependente químico? Pode dar remédio pra ele sabendo que ele vai usar depois? O que fazer quando ele chega bêbado em casa? Essas coisas o psicólogo vai trabalhar com a família.

Apesar deste artigo ter ficar grande, não é nem o começo sobre questões relacionadas a dependência química. Caso deseje saber mais sobre o assunto, ou marcar uma sessão de avaliação, entre em contato por e-mail ou whatsapp (41) 9.8437-9159.

Open chat
Powered by
%d blogueiros gostam disto: