Disfunções Sexuais

Você já deve ter visto eu falando que a ejaculação precoce é uma disfunção sexual. Mas o que  exatamente são as disfunções sexuais?

A sexualidade humana pode ser encarada sob três aspectos fundamentais: biológico, sociocultural e psicológico. Partindo destes pressupostos nós conseguimos definir o que é “normal” e o que é “anormal” na questão sexual. As definições variam de acordo com o ponto de vista que um fato é considerado.

 

Parafilias

Da perspectiva sociocultural o sexo considerado normal é aquele praticado pela maioria dos indivíduos de determinada cultura ou grupo social. Se você pensou na posição papai-mamãe, você está absolutamente correto! Vale salientar que as sociedades são dinâmicas, assim, o que é considerado normal hoje, amanhã pode não ser.

 

Daqui a pouco o sexo considerado normal vai ser o “caiu na net”, anote o que eu estou dizendo ¬¬

 

Quando o sexo é considerado socioculturalmente anormal, ou seja, dentro daquela sociedade é praticado por poucos e, quem pratica, está sujeito a receber represálias morais, estamos falando de desvio sexual ou parafilia. Temos como exemplo de parafilias o bestialismo (prática sexual com animais) , a escatofilia (se excitar na presença de fezes), a pedofilia (desejo sexual por crianças) , o sadomasoquismo (excitação por infringir dor, no caso do sadismo, e por sofrer dor, no caso do masoquismo), e mais um monte de coisas que as férteis mentes humanas inventam.

 

Para ilustrar como pode haver mudanças no que é considerado normal e desviante em uma sociedade podemos pegar o caso da pedofilia. Até certo momento histórico a criança era vista como um adulto em miniatura e, portanto, o sexo com crianças não era considerado um desvio. Quando houve o advento da infância como um período peculiar de desenvolvimento e outras mudanças culturais, a pedofilia passou a ser uma das parafilias mais escrachadas da sociedade.

 

Antes de continuarmos duas observações. A primeira é que a pedofilia não é crime, apesar de tantas propagandas e notícias que se vê por aí. Pedofilia é o desejo sexual por crianças, e desejar algo não é crime. Crime é abusar sexualmente de crianças, e deve ser denunciado! Caso você, ou alguém que você conheça, sofra deste desvio, aconselho a procurar apoio psicológico especializado.

 

Outra observação é que a homossexualidade (e não homossexualismo) não é considerado um desvio sexual, ela foi retirada do DSM (um manual sobre transtornos mentais da sociedade americana de psiquiatria) em 1973.

 

Disfunções Sexuais

Continuando, vamos falar das tão famosas disfunções sexuais. Enquanto desvio é um conceito sociológico, disfunção é um conceito biológico. Neste caso normal seria aquela pessoa que apresenta uma resposta sexual adequada. Todo indivíduo nasce com uma capacidade biológica de reagir a estímulos sexuais. Se a capacidade biológica (e aqui não estou falando em tamanho do pênis, não precisa ficar preocupado) permite respostas funcionais, ele é considerado normal. Caso haja alguma deficiência na resposta sexual, falamos de disfunção sexual.

 

Vamos pegar o caso da ejaculação precoce. Ela pode tanto ser considerada uma disfunção sexual como uma inadequação, falo sobre o conceito de inadequação mais abaixo. O homem com ejaculação precoce apresenta uma alteração na fase do orgasmo. Com um mínimo de estimulação o orgasmo é desencadeado. A ejaculação precoce vai ser considerada disfunção a medida que ela ocorre antes da penetração. A função biológica de fertilizar a parceira está comprometida neste caso.

 

Já a disfunção erétil apresenta um bloqueio na fase da resposta sexual da excitação. Perceba que em ambos os casos falamos sobre a parte biológica do sexo, tanto da resposta sexual quanto da capacidade de fecundação.

 

 

Inadequação Sexual

Agora, o que seria uma inadequação sexual? Quando se fala em inadequação sempre se refere ao estado psicológico. Neste caso o que importa é a satisfação pessoal ou adequação sexual de cada pessoa. Se o indivíduo está satisfeito com sua vida sexual e com a de sua parceira, não há inadequação, ainda que haja disfunção. Lembra que eu falei em outro artigo que se a parceira está satisfeita com a duração da relação sexual, mesmo que ela possa ser considerada rápida, não há ejaculação precoce? Então, neste caso estamos falando de adequação e inadequação sexual.

 

A adequação ou inadequação sexual é avaliada com base em satisfação intra e interpessoal. Um homem com disfunção erétil e uma mulher vagínica (que tem espasmos musculares que impede ou dificultam a penetração) podem ser considerados adequados, mesmo que, do ponto de vista biológico, haja disfunção. Ou uma pessoa com resposta sexual perfeitamente normal, biologicamente falando, pode sofrer de inadequação sexual a medida que não está satisfeito com desempenho dele ou da parceira.

 

Caso você queira entender um pouco mais sobre a resposta sexual é só clicar aqui.

 

Tá, já entendi Luiz, mas porque diabos você está falando sobre tudo isso?

 

Por um motivo muito importante: não é porque você tem alguma disfunção sexual que, necessariamente, você deve procurar ajuda. Imagine que você tenha ejaculação precoce, aí você procura um psicólogo e aprende a controlar sua ejaculação. Você pode pensar “nossa, agora vou ficar horas fazendo sexo, vai ser o máximo”. Mas, depois de um tempo, sua parceira começa a evitar ter relações sexuais com você por considerar o tempo muito longo. Algumas mulheres reclamam “ele sobe em mim e fica lá eternamente, parece uma britadeira”. Resolver algo que você considerava um problema, causou outro problema.

 

O sexo é sempre praticado a dois ou mais (você e sua parceira; você, sua parceira e a amiga dela; você, sua mão e seu computador, e por aí vai). Em muitos casos a adequação sexual é muito mais importante do que tratar a disfunção. Isso significa que, na maioria das vezes, o tratamento das disfunções ou inadequações sexuais envolve o casal.

 

E as parafilias?

 

Mesmo caso, se um é sadista, o outro masoquista, e ambos apresentam respostas sexuais adequadas, não há problema. Agora, se pra você comer tatu é bom, mesmo que você prefira as cabritas, mas sua parceira reclama disso, talvez seja hora de procurar um tratamento  para sua parafilia e para a inadequação sexual de vocês.

 

 

Causas das disfunções sexuais

Luiz, e quais são as causas das disfunções sexuais?

Elas são multicausais, com fatores psicossociais e fisiológicos.

As causas orgânicas podem ser: doenças crônicas (arteriosclerose, doenças neurológicas, diabetes etc.), câncer, gestação e puerpério, agentes farmacológicos e uso de drogas, alterações endocrinológicas, doenças psiquiátricas subclínicas, outros fatores médicos, cirúrgicos ou traumáticos.

 

E são consideradas causas psicológicas: fatores individuais (características de personalidade, baixa autoestima, educação, história de vida, abuso sexual, dificuldades psicossociais, depressão, ansiedade, medo, frustração, culpa, conflitos intrapsíquicos, crenças religiosas), fatores interpessoais (comunicação pobre, relação conflituosa, pouca confiança, traições, medo de intimidade) e fatores psicossexuais (aprendizado e atitudes negativos sobre a sexualidade, ansiedade de desempenho, traumas sexuais, desconhecimento da resposta sexual, expectativas de resposta surreais).

 

Ufá, é coisa pra caralho que pode levar a uma disfunção sexual.

 

É um tema complexo, eu sei. Se tem alguma dúvida, pode me escrever (e-mail tá, apesar de eu adorar receber cartas o processo é meio lento…) que será um prazer te ajudar no que puder.

NÃO QUEIME A LARGADA - Ebook Gratis

NÃO QUEIME A LARGADA - Ebook Gratis

TUDO o que você precisa saber sobre EJACULAÇÃO PRECOCE.

Neste ebook trago para você o que tem de mais recente e confiável no entendimento da EJACULAÇÃO PRECOCE.

O ebook será carregado em uma nova página em instantes!

%d blogueiros gostam disto: